742 Jardins de Infância no Levantamento Nacional para a Caracterização do Pré-Escolar

30 Abr, 2018

A 18 de maio, em Bôr, teve lugar a inauguração do Jardim de Infância Inclusivo da Casa de Acolhimento Bambaran, da Caritas Guiné-Bissau. Um espaço pioneiro de educação inclusiva, “única no contexto guineense”, que reúne em sala crianças com e sem necessidades educativas especiais, consolidando “a abertura do espaço às crianças da comunidade envolvente”, como explicou a Secretária-Geral da Caritas Guiné-Bissau durante a cerimónia.

A construção e apetrechamento do jardim-de-infância e primeiro ciclo inclusivo aconteceram no âmbito do projeto Bambaran di Mininu: Observatório Nacional dos Direitos das Crianças na Guiné-Bissau – Fase II, promovido pela Caritas Guiné-Bissau em parceria com a FEC, e financiado pela União Europeia, com co-financiamento do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. e contribuição adicional específica da organização Amici Del Terzo Mondo.

O jardim-de-infância e primeiro ciclo é composto por quatro salas que dão vida a espaços educativos devidamente equipados, edificados de acordo com os princípios de uma arquitetura inclusiva, sem barreiras à mobilidade de crianças com algum tipo de limitação ou dificuldade ao nível da motricidade. Para a Casa Bambaram, esta nova construção representa um aumento da oferta de Educação de Infância, atingindo mais de 90 crianças. Como afirmou Ana Pestana, Gestora do projeto Bambaran di Mininu na FEC, em representação da representante de país FEC Sofia Alves, a educação de infância “é criadora da expressão múltipla das culturas de pertença de cada um”, assumindo como espaço privilegiado “a educação intercultural e revelações de bases simbólicas de pensamento das crianças”.

O projeto Bambaran di Mininu: Observatório Nacional dos Direitos das Crianças na Guiné-Bissau – Fase II decorreu entre 2015 e 2017, com o objetivo de promover o respeito efetivo dos Direitos das Crianças na Guiné-Bissau. De entre os resultados principais alcançados, destaca-se: o acompanhamento técnico de qualidade das crianças em seis domínios dos seus direitos (educação, saúde, proteção, nutrição, cuidados/abrigo e psicossocial); serviços de educação inclusiva para crianças, com e sem deficiência; a constituição formal do Observatório Nacional dos Direitos das Crianças na Guiné-Bissau;  e sensibilização da população, organizações da sociedade civil e entidades governamentais para os Direitos das Crianças.

Últimas notícias…

Exposição Tantas Vezes Digo ao Orvalho Sou Como Tu

Exposição Tantas Vezes Digo ao Orvalho Sou Como Tu

Tantas vezes digo ao orvalho sou como tu é o nome da nova exposição que inaugura quinta-feira, dia 1 de outubro, às 18h, na Brotéria. Refletir sobre a problemática ambiental, percecionada através dos sentidos que os artistas nos provocam, foi o propósito...

read more