Inovar para o Impacto

29 Jun, 2021

A Cáritas Portuguesa, a Cáritas de Angola e a Fundação Fé e Cooperação (FEC) arrancaram em 2018 com um projeto pioneiro de capacitação. “Cáritas Lusófonas em Rede – Inovar para o Impacto” abriu caminhos para uma colaboração que se materializou diariamente e que tinha por base um objetivo simples, mas exigente: tornar o serviço prestado aos mais vulneráveis claro, transparente e mais eficaz.

Este trabalho foi, assim, um contributo para melhorar a ação da Cáritas de Angola junto das populações mais vulneráveis, reforçando a organização da instituição e capacitando-a para a implementação das Normas de Gestão da Caritas Internationalis. Estas Normas enquadram-se numa metodologia de desenvolvimento institucional e de capacitação a ser implementada na Cáritas, em todo o mundo.

José Quintas, atual diretor da Cáritas Angola, está em Portugal para o encerramento formal deste projeto e faz um balanço positivo do trabalho que foi realizado nos quase quatro anos, pelas diferentes equipas da Cáritas em Angola e pela Cáritas Portuguesa, com a parceria da Fundação Fé e Cooperação. “Este projeto veio dar um impacto importante para melhorar a nossa resposta aos beneficiários”, José Quintas.

Trabalhar na capacitação e na reestruturação da Cáritas de Angola, exigiu um esfoço que foi coletivo, mas foi também em larga medida um esforço pessoal de cada membro da equipa de trabalho bem como dos bispos de cada diocese angolana que também se envolveram e acompanharam o trabalho realizado. Foi necessário um diálogo franco e disponível entre todos e um olhar contextualizado para as diferentes realidades nacionais.

A Cáritas de Angola foi pioneira neste processo, ao nível das Cáritas Lusófonas, e isso revela uma grande coragem e uma grande vontade de melhorar e de ir mais longe na sua missão como Igreja ao serviço dos mais pobres. A Cáritas Portuguesa foi um interlocutor e será, sempre, um instrumento que terão disponível para conseguir alcançar este objetivo de melhorar o seu trabalho quotidiano.

“Aquilo que a Cáritas Portuguesa vê, a Cáritas de Angola não vê e aquilo que a Cáritas de Angola vê, a Cáritas Portuguesa não vê”, o diretor José Quintas, define assim o trabalho de comunhão entre as duas organizações. “Isto é muito importante porque nos ajuda a ver aquilo que não podemos ver e melhor aquilo que não podemos observar, para criarmos sinergias e trabalharmos a solidariedade através da Cáritas. Temos de ser capazes de melhorar para que nossa ação também seja mais evangélica e mais profética”.

Deste projeto, que está agora na sua fase final, resulta uma ferramenta importante para o trabalho da Cáritas na lusofonia: a Plataforma de Projetos das Cáritas Lusófonas. Trata-se de uma ferramenta digital onde todas as Cáritas de língua oficial portuguesa são convidadas a registar os seus projetos numa lógica de “comunhão” e partilha de recursos e de boas práticas.

A plataforma vai ser apresentada formalmente no próximo dia 29 de junho, em Lisboa, na Universidade Católica Portuguesa, com a participação de João Ribeiro de Almeida, presidente do Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, entidade que é financiadora deste projeto.

A Cáritas Portuguesa, com o apoio da Caritas Internationalis, tem como objetivo poder expandir este projeto a outras Cáritas lusófonas numa lógica de crescimento concertado, podendo otimizar recursos locais e melhorar as práticas de coordenação e gestão e a implementação de projetos.

Últimas notícias…

Termina a formação de docentes na ilha de Bolama

Termina a formação de docentes na ilha de Bolama

No passado dia 18 de julho de 2021 realizou-se a última sessão de formação (em sala) em Educação para a Cidadania e Direitos Humanos para os diretores e corpo docente das 14 escolas da ilha de Bolama, do pré-escolar até ao ensino secundário, bem como para 11 professores da Escola Normal Amílcar Cabral (ENAC) e 6 inspetores escolares.

read more