Portugal Católico

13 Jan, 2018

Portugal Católico

by José Eduardo Franco

Este Luso Fonias dá a conhecer uma obra que foi lançada há pouco. O livro “Portugal Católico” documenta a situação atual da Igreja Católica portuguesa. Com o mote “beleza na diversidade, dá a conhecer a presença da Igreja, não só no campo espiritual, mas também no plano social e cultural. Preparado por ocasião da visita do Papa Francisco a Fátima, este livro com mais de 800 páginas reúne o testemunho de 200 pessoas da cultura, crentes e não crentes, com diferentes sensibilidades. Contamos com o testemunho de um dos coordenadores desta obra, o professor José Eduardo Franco.

Na opinião do P. Tony Neves – ‘Sangue com Missão’

“É do mais radical da tradição cristã dizer que ‘sangue de mártires é semente de cristãos’. Em boa verdade, é fácil reconhecer que dar a vida, totalmente, assume a perfeição exigida pelo Evangelho. Quando alguém, em nome da Fé, da verdade, da justiça e da paz é morto, estamos perante o martírio que traduz uma entrega total da vida.

O Vaticano acaba de nos surpreender com o número de missionários assassinados em 2017: 23! Um número que traduz o mau estado do mundo no que diz respeito à liberdade religiosa e aos direitos humanos. Foram martirizados treze padres, uma Religiosa, um Religioso e oito Leigos. Aqui podemos encontrar um indicador de mudança: os Leigos também morrem pela causa do Evangelho e aparecem nestas contas de Roma. A geografia ajuda a avaliar o mundo em que vivemos: onze missionários mortos na América, dez em África e dois na Ásia. Diz o Vaticano que, neste terceiro milénio, já foram contabilizados 424 agentes de pastoral mortos! São números que falam alto e calam fundo!

Sou muito sensível ao martírio que resulta da perseguição, da violência ou da guerra. Nos tempos vividos em Angola, partilhei vida e Missão com alguns Padres, Irmãs e Leigos que foram vítimas da barbaridade que só uma terrível guerra civil é capaz de praticar. Podia citar os nomes dos Padres Abílio Guerra e José Afonso Moreira (Espiritanos); do Padre Albino Saluhaco (Diocesano do Huambo); das Irmãs Lourdes Aguiar (Teresiana) e Maria Joaquim (Espiritana); do seminarista Sassoma (do Huambo); e tantas leigas e tantos leigos que a guerra matou por serem cristãos comprometidos e, por isso mesmo, ferozes adversários da guerra que dizimava o povo e destruía estruturas e colheitas.

O mundo tem de melhorar os indicadores relativos à Liberdade Religiosa e aos Direitos Humanos. Enquanto tal não acontecer, vão surgir sempre novas vítimas que engrossam a lista dos mártires, mas traduzem o estado miserável de um mundo agressivo e intolerante.

Queremos – como tantas vezes tem pedido o Papa Francisco – um mundo marcado pela ternura do Menino que nasceu em Belém. Mas, para tal, temos de cumprir o que disse o profeta Isaías e que está gravado na fachada principal do edifício-sede da ONU em Nova Iorque: ‘das espadas farão relhas de arados e das lanças forjarão foices’!”

Últimos programas

O programa foi dedicado ao Brasil, que comemora a 7 de Setembro o seu Dia da Independência. Connosco esteve a advogada brasileira Sidineia Yamaguchi, que trabalha com brasileiros que se pretendem fixar em Portugal. Falámos sobre a comunidade brasileira do Norte de...

Lixo Marinho

Lixo Marinho

A acumulação de lixo no mar é cada vez mais visível, e o plástico é a maior fonte dessa poluição. Fala-se também dos riscos dos microplásticos e hoje vamos saber melhor o que são e sobretudo o que cada um de nós pode fazer para mudar esta situação. Esteve connosco...