Uma em cada três mulheres guineenses já foi vítima de mais do que um tipo de violência por parte de homens e 80% da violência tem origem no seio familiar, sendo o pai o principal agressor, segundo o Relatório da Situação da Mulher na Guiné-Bissau.