As liberdades retrocedem e a democracia está em crise

19 Jan, 2018

O relatório anual da Freedom House sobre “A Liberdade no Mundo” revela que as liberdades estão em retrocesso em todas as regiões do mundo e conclui que a democracia está em crise. O relatório salienta que:

  • Apenas 39% da população mundial vive em países onde as suas liberdades estão asseguradas. A maioria habita, portanto, em países considerados parcialmente livres ou não livres.
  • 71 países registaram retrocessos nos direitos políticos e liberdades civis, enquanto apenas 35 tiveram progressos. Este é o 12º ano consecutivo de diminuição das liberdades em termos globais.
  • Os Estados Unidos saíram da sua posição tradicional de liderança e exemplo para a democracia, verificando-se um declínio rápido e acentuado dos direitos políticos e liberdades civis neste país.

Há cerca de 25 anos, após o fim da Guerra Fria, parecia que o totalitarismo se tinha desvanecido e que a democracia tinha ganho a grande batalha ideológica do século XX, mas atualmente é a democracia que se encontra enfraquecida e desafiada. Os valores que a democracia incorpora – particularmente o direito de escolha dos líderes em eleições livres e justas, a liberdade de imprensa e o Estado de direito – estão a ser fortemente afetados mundialmente. Alguns países que pareciam histórias promissoras de sucesso – como a Turquia e a Hungria – encontram-se numa deriva totalitária, enquanto as democracias mais poderosas do mundo estão mergulhadas nos seus problemas internos, incluindo as disparidades económicas e sociais, movimentos populistas, fragmentação dos partidos políticos, potenciados por fenómenos como os ataques terroristas. Estes desafios são internos são alimentados por líderes populistas que utlizam o discurso xenófobo e o sentimento anti-imigração para desrespeitar liberdades fundamentais. Em 2017, partidos populistas de extrema direita ganharam votos e lugares parlamentares em países como a França, a Holanda, a Alemanha e a Áustria. E, mais importante ainda, parece que os jovens estão a perder a esperança no projeto democrático, revelando maior apatia e desinteresse.

O alastramento de práticas anti-democráticas no mundo não é apenas um contratempo para as liberdades fundamentais. Coloca riscos enormes para o desenvolvimento, para a economia e para a segurança das pessoas. Países com maior garantia de respeito pelas liberdades fundamentais são países mais seguros e mais prósperos, mais abertos a novas ideias e oportunidades. Por sua vez, países autocráticos e repressivos tendem a gerar instabilidade e conflitos, fenómenos de violência e corrupção, e maior espaço para a radicalização e os movimentos extremistas.

Consulte a versão integral do relatório aqui.

Vídeo: Why is democracy declining worlwide? Freedom House, Janeiro 2018.

Últimas notícias…

Missão de estudo na área da Educação em Catió

Missão de estudo na área da Educação em Catió

Decorre em Catió, na Guiné-Bissau, até o dia 14 de janeiro, uma missão de estudo na área da Educação. O objetivo é a troca de informações e a partilha de experiências educativas entre as Direções Regionais de Educação de Gabú e de Tombali, que irão analisar a situação...

read more