Os Presentes Solidários estão de volta!

10 Nov, 2020

Numa edição especial dedicada a apoiar comunidades afetadas pela atual pandemia de COVID-19, os Presentes Solidários são um gesto concreto de fraternidade e amizade social para com centenas de pessoas nos oito países lusófonos. Os Presentes Solidários dão-nos a oportunidade de participar em vários projetos e levar esperança a crianças e pessoas que de outra forma não teriam condições de retomar a normalidade.

Este ano o Natal tem um sentimento especial. A atual pandemia aumentou a situação de vulnerabilidade de muitas famílias e agravou a condição já frágil de outras. Apesar do distanciamento social, 2020 mostrou-nos que estamos em permanente relação com o outro. O Natal é por isso, o tempo de darmos graças e de retribuirmos, numa altura em que as fragilidades e interdependências foram ainda mais acentuadas. É nesta proximidade que queremos juntar esforços para fazer chegar a ajuda tão necessária para combater e prevenir a pandemia Covid-19.  ´

Nesta altura de grande incerteza, a FEC quer renovar a esperança das comunidades e dos seus parceiros, com a certeza de que a alegria do Natal chegará, uma vez mais, a todos. Este ano, poderá optar por apoiar crianças no restabelecimento da vida escolar, garantir que pessoas que viram a sua atividade profissional ser fortemente afetada pela crise social e económica possam retomar atividades geradoras de rendimentos, garantir que crianças e jovens possam ter acesso a uma educação de qualidade, bem como outras medidas de promoção da higiene e proteção individual indispensáveis.

No Catálogo deste ano pode encontrar presentes entre os 6€ e os 180€. Até 6 de janeiro, pode adquirir os seus Presentes Solidários online em www.presentessolidarios.pt

Últimas notícias…

Cabo Delgado | Não nos conformamos com a violência

Cabo Delgado | Não nos conformamos com a violência

Mais de 30 organizações da sociedade civil portuguesa apelam ao envio urgente de ajuda humanitária para Cabo Delgado, Moçambique A população de Cabo Delgado, em Moçambique, está a viver, desde há quatro anos, violentos ataques, que já fizeram mais de 700.000...

read more